Segunda-feira, 21 de Abril de 2008

Definição de Alcoolismo

Etimologicamente, o vocábulo álcool resulta da junção da palavra árabe al-kuhul (líquido) com a palavra grega alkuhl (essência).
Desde os mais remotos tempos que o tema álcool é do conhecimento da Humanidade, constatando-se pela existência de referências que remetem para o ano 30 000 a.C. Admite-se que o Homem, acidentalmente, tomou conhecimento dos seus efeitos aquando da ingestão do mel fermentado.
A partir de então, várias definições têm surgido, vários autores têm tentado definir Alcoolismo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) apresenta uma definição completa e exaustiva para esta temática. Assim, um alcoólico é um bebedor excessivo que cria uma dependência física e psíquica ao álcool, e que lhe provoca problemas em diversos níveis (social, familiar, ocupacional, etc.). Segundo a OMS um “(...) alcoólico é um bebedor excessivo, cuja dependência em relação ao álcool, é acompanhado de perturbações mentais, da saúde física, da relação com os outros e do seu comportamento social e económico (...)”. Na sequência desta definição, o alcoolismo, e de acordo com a OMS “(…) não constitui uma entidade nosológica definida, mas a totalidade dos problemas motivados pelo álcool no indivíduo, estendendo-se a vários planos, causando perturbações orgânicas e psíquicas, perturbações da vida familiar, profissional e social, com as suas repercussões económicas, legais e morais”.

Também segundo a OMS, o consumo moderado diário de bebidas alcoólicas é para “(...) um homem adulto normal [...] ¼ de litro de vinho, ou 3 copos de vinho ou 3 copos médios de cerveja [...] repartidos pelas 2 principais refeições. A mulher adulta não deve consumir mais de [...] 2 copos de vinho, ou 2 “imperiais” (...)” Contudo, convém definir e distinguir dois conceitos (alcoolismo agudo e alcoolismo crónico), visto que estes são muitas vezes confundidos. No primeiro caso, existe uma ingestão única de uma grande quantidade de álcool, num dia ou num espaço curto de tempo, podendo este estado ir desde a excitação psíquica até ao coma alcoólico. O alcoolismo crónico pressupõe uma ingestão excessiva habitual de bebidas alcoólicas, repartidas ao longo do dia em várias doses, que vão mantendo um nível a álcool permanente do organismo.

Publicado por bebesalcoolrecusa às 18:05
Link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
|

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Maio 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29
30
31


Posts recentes

Sinais e sintomas do alco...

Padrões de consumo de álc...

As figuras da alcoolizaçã...

Abordagem do fenómeno na ...

Tipos de bebidas alcoólic...

História do Álcool

Definição de Alcoolismo

I Jornadas "Alcoolismo na...

Bebes Álcool? Recusa!

Arquivos

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Tags

abordagem do fenómeno na adolescência

adolescência

alcoolismo

alcoolismo na adolescência

área de projecto

as figuras da alcoolização na adolescênc

definição de alcoolismo

escola

estudantes

história do álcool

i jornadas "alcoolismo na adolescência"

ipj

jornadas

leiria

padrões de consumo de álcool

sinais e sintomas do alcoolismo

tipos de bebidas alcoólicas

todas as tags

Contador de Visitas

blogs SAPO

subscrever feeds